Planeta Global

Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO COMÉRCIO

Fundada em 15/4/1994 chegou aos 20 anos Fundada em 15/4/1994 chegou aos 20 anos

A Organização Mundial do Comércio é hoje a mais jovem e considerada por muitos como a principal organização internacional atuante no planeta. Ela foi estabelecida em janeiro de 1995 através do histórico Acordo de Marrakech (Tratado internacional institutivo da OMC, assinado no Marrocos), que substituiu o Acordo Geral de Tarifas e Comércio - GATT.

Dentro de sua estrutura institucional o principal órgão é a Conferência Ministerial da OMC, que se reúne pelo menos uma vez a cada 2 anos, para decidir todas as grandes questões do comércio e do desenvolvimento global. É o órgão de adoção das decisões mais importantes da OMC, onde estão representados todos os seus membros, que atualmente são 155 países e uniões aduaneiras, dos 5 continentes.

As Conferências Ministeriais podem adotar decisões sobre todos os assuntos abrangidos no âmbito de qualquer um dos Acordos Comerciais Multilaterais em vigor. Como típico órgão decisório do mais alto nível da OMC, já realizou reuniões importantes para as perspectivas de desenvolvimento e de crescimento econômico dos países integrantes da OMC, constituindo-se em contribuição insubstituível para o objetivo maior de um planeta mais estável, eqüitativo e pacífico.

Neste momento de crescente incerteza econômica mundial, os progressos alcançados em cada uma destas Conferências tem sempre contribuído para gerar confiança no futuro global. A sua próxima edição que acontecerá em setembro terá como a principal tarefa fazer um balanço dos progressos realizados na Conferência ocorrida no Qatar (Programa de Doha para o Desenvolvimento), que teve negociações: comércio e desenvolvimento, agricultura, serviços e tutela do meio ambiente.

Os chefes executivos de 27 organizações internacionais do sistema das Nações Unidas, em sua reunião de primavera em Paris–França, declararam que os avanços nas negociações comerciais de Doha são urgentes, porque existem mais de 1 bilhão de pessoas no mundo atual que carecem de alimentos suficientes, de água potável, do ensino primário e de atenção sanitária'. Todos os organismos econômicos mundiais estão envolvidos.

Em recente declaração conjunta, o Diretor Geral da OMC, o Diretor Executivo do FMI e o Presidente do Banco Mundial solicitaram aos dirigentes do G-8 todos esforços no sentido de definir diretrizes políticas necessárias para as negociações comerciais globais, superando os desafios do sistema multilateral de comércio. Estão convocados governos, parlamentos, setor empresarial, meios de comunicação, círculos acadêmicos e sociedade civil.

OMC: estrutura lenta para a dinâmica do comércio internacional OMC: estrutura lenta para a dinâmica do comércio internacional Brasileiro: ganhos no sistema da solução de controvérsias Brasileiro: ganhos no sistema da solução de controvérsias

ROBERTO AZEVÊDO DO BRASIL, FOI ELEITO EM 7/5/2013 O NOVO DIRETOR-GERAL DA OMC.

O francês Pascal Lamy serviu um primeiro mandato de 4 anos entre 2005 e 2009 e foi reeleito para um segundo período entre 2009 e 2012.

Roberto Azevêdo Roberto Azevêdo

O governo brasileiro apresentou em 28/12/2012 a candidatura do embaixador Roberto Azevêdo ao cargo de diretor-geral da OMC (Organização Mundial do Comércio), pelos próximos 5 anos (2013-2017). Há concorrentes do Brasil: Coréia do Sul, México, Indonésia, Costa Rica, Gana, Jordânia, Quênia e Nova Zelândia. O eleito pelo Conselho-Geral da OMC substitui Lamy.

Segundo o Itamaraty, Azevêdo reúne qualificações para o exercício da função, estando envolvido com temas econômicos há mais de 20 anos, incluindo um período na Delegação do Brasil junto à ONU, outros organismos internacionais em Genebra, além de atuar como chefe da delegação brasileira na Rodada de Negociações Multilaterais da OMC (Rodada Doha).

Ele já chefiou por mais de 4 anos a Coordenação-Geral de Contenciosos do Itamaraty, atuando como chefe de delegação em disputas comerciais importantes entre o Brasil e outros países, em especial os Estados Unidos e a União Européia. Desde setembro de 2008 é o representante permanente do Brasil junto à OMC e outras organizações econômicas em Genebra.

Abril de 2013 - Organização Mundial do Comércio (OMC) anunciou o nome dos 5 candidatos ao cargo de Diretor-Geral que passam para a segunda fase de seleção. A lista inclui o embaixador brasileiro Roberto Azevêdo. Os outros candidatos são Mari Pangestu, da Indonésia; Tim Groser, da Nova Zelândia; Herminio Blanco, do México; e Taeho Bark, da Coréia do Sul.

Na primeira fase, havia 9 nomes, mas 4 foram eliminados após preferências dos Estados. Deixaram a corrida Gana, Costa Rica, Jordânia e Quênia. A primeira consulta pedia aos 159 integrantes da OMC escolher um novo Diretor-Geral por consenso. A próxima fase de consultas deve durar até 24 de abril. Neste dia, os três candidatos que receberem menos apoio devem retirar seus nomes para dar lugar a somente dois finalistas.